Quinta-feira, 28 de Abril de 2011
Flexibilizar ou mudar!!!
A flexibilização do mundo do trabalho é urgente!
Pessoas! O importante é trabalhar, "dar o litro", e não fazer que se faz, à espera que o tempo passe! Se cada um de nós fizesse o trabalho que lhe está destinado, com empenho, fá-lo-ía em metade do tempo! (e depois o mais certo era o patrão nos arranjar mais trabalho para a outra metade... por isso o melhor é trabalhar devagar...)!
É assim que pensa muita gente e com esta mentalidade não vamos mudar nada!
Há outro problema! Há pessoas às quais não importa por aí além estar com a família! Que deixam os filhos na escola até fechar, só porque sim, que até jantam e depois vão buscá-los à escola (eu já vi isto), ou até se esquecem deles lá (também já vi)! Há mães que estão em casa mas preferem que os filhos façam os TPC no ATL (estou a falar de filhos sem dificuldades de aprendizagem e de mães com um nível escolar médio)... há de tudo! E não estou aqui a criticar ninguém, só a constatar realidades!
Por isso flexibilizar é tão difícil! Porque o que é importante, vital, para  mim, ou seja, ter mais tempo para a minha família, ir buscar os filhos à escola, poder acompanhá-los se estão doentes, não é assim tão importante para outros e a minha luta pode cair em saco roto se os meus patrões e os meus colegas não pensarem o mesmo que eu, ou simplesmente, não entenderem o meu ponto de vista!
Mas temos de começar por algum lado!
Conhecer a legislação é crucial! Temos de tentar contornar em cada dia as nossas incompatibilidades e tentar flexibilizar o nosso mundo!
"A resposta a esta situação passa inevitavelmente pela flexibilização, acompanhada de políticas de conciliação entre o trabalho e a família que passariam pelo trabalho em casa, pela coordenação do tempo de trabalho com férias escolares, pela implementação de um verdadeiro mercado de trabalho em tempo parcial, por horários flexíveis ou reduzidos, por bancos de horas, por semanas de trabalho comprimidas, por uma flexibilização de benefícios sociais (tendo em conta creches, contribuições para despesas escolares) e uma facilitação do regresso no mercado de trabalho.
Um mercado de trabalho mais flexível reduziria as faltas, promoviria a motivação e aumentaria a tão necessária e desejada produtividade.
A conciliação entre a vida familiar/pessoal e o mundo do trabalho é essencial para uma sociedade de sucesso, saudavel e produtiva
Silvia


publicado por flexbilizar ~ conciliar às 10:49
link | comentar

1 comentário:
De Anónimo a 17 de Maio de 2011 às 12:41
É verdade Silvia. Infelizmente nem todos pensamos da mesma forma e corresse o risco de existir algum abuso na flexibilização, no entanto,à que ter responsabilidades e sempre podem exigir objectivos a concretizar no trabalho. Bjocas
Cristina Góis


Comentar post



Facebook e-mail declaração de princípios
pesquisar
 
últimas notícias

Conquistar terreno no mer...

Esperar que as coisas aco...

Trabalho mais do que nunc...

Regresso ao Interior

Comercial - aprender para...

Má experiência com final ...

Compreender, focalizar, p...

Flexibilizar com Austerid...

Uma experiência de super-...

os nossos 10 mandamentos

tags

todas as tags

arquivo

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

subscrever feeds