Terça-feira, 28 de Junho de 2011
Avaliar a possibilidade de flexibilidade numa determinada função
Seguem-se algumas directivas que podem ajudar tanto o empregador como o funcionário a avaliar o tipo de trabalho flexível que pode funcionar melhor para uma determinada função.

Considerações para o trabalho flexível segundo o tipo de função :

Membro de uma equipa - O trabalho é mais à base de projectos, com prazos longos e menos dependente de outros membros da equipa? Este tipo de trabalho permite uma flexibilidade relativamente autónoma, como trabalho a partir de casa ocasional ou regular, mas é preciso ter cuidado para que a pessoa não fique isolada e nem perca a visibilidade dentro da equipa.

Supervisão - Trata-se de uma função de supervisão, em que uma parte importante do trabalho diário é orientar os funcionários e resolver problemas? Se for importante uma cobertura a tempo inteiro, considere a partilha de funções – ou será possível criar uma oportunidade para que outra pessoa o possa substituir? Lembre-se também que muito do trabalho de supervisão ao nível superior já é feito remotamente, especialmente se a função for global ou cobrir mais de um local de trabalho.

Contacto com o cliente/ relações públicas - Trata-se de uma função virada para o exterior, com muito tempo dedicado a contactos externos? A flexibilidade diária poderia ser uma enorme vantagem nesta função, aproveitando para escrever relatórios no trânsito ou para fazer um apanhado do trabalho feito em casa.

Trabalho de processamento - É necessária uma grande quantidade de processamento e análise? Existem picos de trabalho que requeiram cobertura extra? Uma coisa que pode funcionar são horas de flexibilidade anuais à medida do ciclo empresarial. Um espaço tranquilo, livre de interrupções, faria com que estas tarefas se adequassem a um trabalho ocasional a partir de casa? Poderia haver questões de confidencialidade a ultrapassar?


“Em cada pedido de trabalho flexível, a presunção de possibilidade é o ponto de partida.”
Martin Tiplady, Director de RH na Metropolitan Police

“Acontece muitas vezes as mães que regressam ao trabalho quererem menos responsabilidade. Sei também que para muitas delas é uma fase passageira.”
Irene Allen, Fundadora e Directora de RH na Listawood

http://www.flexibility.co.uk/
Tradução feita por Carla Palhares da Costa


publicado por flexbilizar ~ conciliar às 09:59
link | comentar

Terça-feira, 21 de Junho de 2011
O que fazer se um funcionário pedir para flexibilizar o trabalho? (vantagens)
Até aqui temos dedicado este espaço às vantagens da conciliação para as mães, para os pais e para as crianças. A partir de hoje, todas as  terças feiras, vamos falar de como a empresa pode viver de uma forma construtiva e produtiva a flexibilidade tendo como objectivo este equilíbrio. O tema de hoje prende-se com o regresso ao trabalho.

Muitos funcionários, ao regressar da licença de maternidade, pretendem alterar o horário de trabalho para ajudar a conciliar os compromissos familiares e profissionais. 
 

As vantagens da flexibilidade
Por que razão devem as organizações e empresas, pequenas e grandes, continuar a empregar as mulheres depois da licença de maternidade? À parte as obrigações legais, quais as vantagens de o fazer? Para identificar os fortes motivos profissionais para uma estratégia para trabalhadoras após a licença de maternidade teremos de falar das preocupações que algumas organizações têm relativamente às questões da maternidade.
Teremos também a oportunidade de observar e fazer alterações positivas na forma como o trabalho é organizado, para atingirmos uma situação em que todos fiquem a ganhar, com vantagens para a empresa e para o funcionário.

As vantagens que podem ter um impacto real na conclusão a tirar são várias e estão descritas mais abaixo.

É importante recordar que as vantagens das políticas de maternidade podem funcionar em conjunto com outras iniciativas da empresa, como programas de bem-estar, por exemplo. E é importantíssimo compreender que a funcionária que saiu da empresa para uma licença de maternidade continua a ter não só os conhecimentos e capacidades que lhe permitiram desempenhar a sua função, como também outros aspectos intangíveis, como a relação com os colegas e uma compreensão da cultura e ethos empresarial, que podem ter uma enorme importância no trabalho efectivo.

"Se um funcionário que já desempenhou uma função mudar de ideias e me disser que já não a consegue desempenhar devido a problemas de equilíbrio entre a vida profissional e familiar, sinto que tanto eu como a organização falhámos.”
Paul Smith, Gerente na DHL

1 Manter capacidades e experiência
2 Aumentar a moral, ao dar às pessoas mais opções e mais controlo sobre o horário
3 Manter uma equipa de sucesso
4 Ter funcionários nos quais pode confiar e delegar tarefas
5 Poupar tempo e dinheiro no recrutamento e desenvolvimento de uma substituição
6 Alinhar as horas de trabalho com o pico individual de produtividade
7 Manter as pessoas na equipa quando elas constituem família ou assumem outras responsabilidades
8 Aumentar a diversidade para reflectir a base de clientes
9 Reforçar o negócio, ao abarcar diversos estilos de liderança e talento
10 Flexibilidade para abarcar um leque mais vasto de horas, de forma a responder às exigências 24 sobre 24 horas
11 Redução do stress e/ou impacto dos problemas pessoais na produtividade
12 Redução das despesas de deslocação, custos do espaço de trabalho e impacto no ambiente
13 Aumento do bem-estar dos funcionários resultante de um bom equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Esta questão pode ter um impacto positivo nas taxas de absentismo, esforço discricionário, lealdade, motivação e moral

Gestão dos pedidos de flexibilidade no trabalho
O tipo de acordo de trabalho flexível que os funcionários podem querer depende das suas próprias circunstâncias e opções. Podem pretender continuar a ser trabalhadores a tempo inteiro, mas trabalhar parcialmente a partir de casa. Podem pretender mudar o horário, por exemplo começar e acabar o trabalho mais cedo. Ou podem querer reduzir a carga horária. Existe um vasto leque de acordos de trabalho flexível em prática, e não é estranho um funcionário combinar diferentes tipos de flexibilidade de forma a criar um padrão de trabalho personalizado.

Cada tipo de trabalho flexível tem vantagens próprias, bem como áreas que exigem um planeamento cuidado. Alguns trabalhos prestam-se mais facilmente a certos tipos de acordos de trabalho que outros, e é importante que tanto o empregador como o funcionário planeiem o trabalho em conformidade. O processo de lidar com um pedido de trabalho flexível encoraja ambas as partes a ter uma abordagem ponderada, mas vale a pena tirar algum tempo para que ambos possam perceber como é que o trabalho vai ser feito em qualquer dos padrões propostos.

Para a semana vamos falar sobre como avaliar a possibilidade de flexibilidade em determinadas funções

http://www.flexibility.co.uk/
Tradução feita por Carla Palhares da Costa


publicado por flexbilizar ~ conciliar às 09:55
link | comentar




Facebook e-mail declaração de princípios
pesquisar
 
últimas notícias

Avaliar a possibilidade d...

O que fazer se um funcion...

tags

todas as tags

arquivo

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

subscrever feeds