Domingo, 1 de Maio de 2011
Sr. Empregador, não sabe vencer a crise ? Pergunte ao Mourinho
Senhor(a) Empregador(a)

Costuma olhar para os seus colaboradores?
Quando digo olhar, digo mal. Reformulando – Senhor empregador, costuma ver os seus colaboradores?
Pois é. A língua portuguesa é muito traiçoeira e ver não é o mesmo que olhar. Quantas vezes já se interrogou por a expansão e o gráfico de produtividade não atingirem os valores que esperava, apesar de todas as condições ergonómicas que criou?
Já olhou bem para os/as seus/suas colaboradores/colaboradoras? Já os viu, realmente?
Há muito tempo que deixei de me interessar por futebol, mas não sou indiferente ao que se passa no Mundo e as notícias do futebol invadem a nossa casa, na hora das refeições. Acabamos por conviver com elas e, no meu caso, por as analisar. Que pensam do José Mourinho? Acham que o sucesso dele é apenas devido à sorte? Os êxitos conseguidos em Portugal, Inglaterra, Itália e Espanha serão apenas devido ao acaso? Ou será que ele é um verdadeiro “gestor de pessoas” e consegue tirar delas (daquelas que tem naquele instante), o melhor que elas têm para dar? Que pensam disso? Sorte, acaso, ou estudo da personalidade de cada um dos seus colaboradores, proporcionando-lhes todas as condições sociais e emocionais, para que eles tenham como preocupação única a sua tarefa, o seu desempenho, porque todas as outras (familiares e sociais) estão asseguradas?
Acha-se menos profissional que o José Mourinho (respeitando a diferença do ramo de actividade)?
Acha que ele é um super-homem? Ou será que ele é apenas um homem atento, que sabe ver quem tem à sua volta?
Pense nisso, na sua próxima contratação de um(a) colaborador(a) para a sua firma.

Carlos Oliveira


publicado por flexbilizar ~ conciliar às 08:12
link

De Dadinha a 1 de Maio de 2011 às 23:18
Carlos bem-vindo à revolução.
Eu não percebo nada de futebol mas ouvi dizer que, quer os jogadores e tecnicos que trabalharam, quer os trabalham com o Mourinho
todos teem respeito e admiraçao por ele.

Nunca tive um patrão (fui trabalhadora independente) mas tb ouvi dizer, que pelos empresário é rarissimo encontrar algum que mereça respeito e admiração.

Pois é, falta "tomates" para saber dirigir, ser assertivo/a e simultaneamente respitador e motivador/a dos outros.
No nosso Portugal existe uma visão do trabalhador com algo estranho à empresa, inerte, sem vida própria.
Mas vai mudar! Sim, bateu no fundo, só resta mudar.

Sofia quando alguem não olha nos olhos para mim é cobarde! Sem mais!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 





Facebook e-mail declaração de princípios
pesquisar
 
últimas notícias

Conquistar terreno no mer...

Esperar que as coisas aco...

Trabalho mais do que nunc...

Regresso ao Interior

Comercial - aprender para...

Má experiência com final ...

Compreender, focalizar, p...

Flexibilizar com Austerid...

Uma experiência de super-...

os nossos 10 mandamentos

tags

todas as tags

arquivo

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

subscrever feeds